Arquivo do dia: maio 25, 2012

Corinthians disputa duas finais do Interclubes neste final de semana

Neste final de semana (26 e 27), os tenistas das categorias 55 anos masculino e 34 anos feminino B do Sport Club Corinthians Paulista entrarão em quadra pelo título do Campeonato Interclubes 2012.

Os tenistas enfrentarão o Jaraguá Clube Campestre, em partidas de ida e volta. Os jogos iniciais ocorrerão nas quadras do Parque São Jorge no sábado (26), a partir das 14h. A grande decisão está programada para domingo (27), no mesmo horário.

As tenistas terão o Esporte Clube Pinheiros pela frente. Os jogos acontecem no sábado, a partir das 16h, também no Parque São Jorge.

Fonte: Corinthians.com.br


Ex-presidente Andrés Sanchez lança livro “O Mais Louco do Bando”

© Divulgação

Na publicação, Andrés revela os detalhes e bastidores de sua trajetória no Corinthians

Já está à venda na melhores livrarias do Brasil o livro “O Mais Louco do Bando”, de autoria de Andrés Sanchez, ex-presidente do Sport Club Corinthians Paulista. A publicação tem 224 páginas e custa apenas R$ 29,90.

Sobre o livro

Desde que jogava nas categorias de base do Corinthians, Andrés Sanchez pensava no que poderia fazer como presidente do Clube para melhorá-lo. O sonho pessoal, porém, foi acontecer durante o pesadelo coletivo: logo depois da sua posse, o Timão não conseguiu escapar do rebaixamento. Andrés assu­mia um Clube sem dinheiro, com a imagem manchada por investigações poli­ciais e um time na segundona. Deixou-o com muitos títulos, o sonhado estádio próprio em construção, Ronaldo Fenômeno como parceiro e um novo estatuto que dá à famosa torcida que tem um time o direito de escolher seus dirigentes pelo voto direto.

Nesse livro, Andrés revela os detalhes e bastidores dessa trajetória incrível, sem papas na língua. Pela primeira vez o dirigente de um dos maiores clubes defutebol do planeta conta o que o torcedor quer saber.

Livro “O Mais Louco do Bando”
Autor: Andrés Sanchez
Co-autor: Tadeo Sanchez Oller
Editora: G7 Books
Data de lançamento: 19/6/2012
Para comprar: nas melhores livrarias
Preço: R$ 29,90
Número de páginas: 224 + 28 páginas de fotos
Dimensões:21 x 14 cm

Fonte: Agência Corinthians


Após subir na grade e ganhar abraço, torcedor visita CT e reencontra Paulinho

A convite do LANCENET!, Lucas conhece o volante e diz que o espera no alambrado nos seus próximos gols no Pacaembu

Paulinho se divertiu com a irreverência de Lucas (Foto: Tom Dib)

Marcelo Braga
Rodrigo Vessoni
Publicada em 25/05/2012
São Paulo (SP)

– Lembra do que eu te falei?

– De algumas coisas. Disse: “Vai Corinthians, é nóis, vâmo pra final…(sic).”

– Foi isso aí mesmo. Eu falei: “É nóis, moleque, vâmo pra final, tâmo junto (sic).”

O diálogo acima aconteceu na tarde de quinta-feira, no CT Dr. Joaquim Grava, entre o corintiano Lucas e Paulinho. Foi ele quem subiu no alambrado da numerada e abraçou o camisa 8 na comemoração do gol da vitória contra o Vasco, na quarta-feira.


Aos 28 anos, Lucas Perassollo teve um dia de estrela. Morador do bairro do Tatuapé, zona leste da capital paulista, deu entrevistas, recebeu várias ligações no celular e mensagens nas redes sociais. A convite do LANCENET!, teve a chance de conhecer o ídolo e lhe contar o que sentiu durante o jogo:

– Estava quase tendo um infarto. Mas foi bem a nossa cara, né?

– Do jeito que vocês gostam – respondeu Paulinho, que depois ouviu:

– Não, mas também não é tão bom assim. Pode meter uns 3 a 0 que é melhor – disse Lucas, que faltou a uma entrevista de emprego no dia em que “ficou famoso.”

Para ajudá-lo, então, Paulinho tratou de fazer o apelo à agência que avaliará o rapaz:

– Ele faltou por uma boa causa, estava festejando a vitória do Coringão. Contrata, ele merece!

Jogador de futebol frustrado, Lucas deu dicas de comemoração dos próximos gols ao atleta e garantiu: estará esperando por novos abraços de Paulinho no mesmo local na semifinal. Representando a Fiel.

Bate-Bola com Paulinho
Em entrevista exclusiva ao LANCENET! durante o encontro com Lucas

A comemoração foi emocionante. Desde quando você sobe em alambrado? Foi fácil escalar?
Rapaz, alambrado eu sei, não, mas muro teve algumas vezes. Correndo atrás de pipa, pegando goiaba, pulando muro…

Mas o que pensou na hora? Tinha comemoração planejada?
Na hora que fiz o gol, saí correndo para o alambrado, mas aí o pessoal que estava aquecendo ali, Douglas e os outros, invadiram o campo, então comemorei no gramado com eles. Mas depois falei: “Vou ter de subir nesse alambrado.” E encontrei esse abençoado aí (Lucas). E é ele mesmo, viu?

Nos próximos gols que fizer no Pacaembu, quem você acha que vai encontrar no alambrado?
(Risos) Vou encontrá-lo de novo, né? Ele vai estar em todas lá agora. Na hora em que eu subi na grade, ele estava lá embaixo ainda, mas foi o único torcedor que subiu. E aí ele ganhou um abraço. E eu também ganhei, né? (risos).

Bate-Bola com Lucas Perassollo
Em entrevista ao LANCENET! na manhã de quinta e no encontro com Paulinho

Como tudo aconteceu?
Foi coisa de momento. Tinha ido ao banheiro e estava perto do alambrado porque estava com raiva do Alessandro e queria xingá-lo. Quando saiu o gol, subi no alambrado sem pensar em nada.

O que o gesto representou?
Ali, eu acho que foi um abraço de 30 milhões de loucos de agradecimento a ele por aquele gol.

Representando eles novamente, faça um pedido ao Paulinho…
Paulinho, se você puder trazer esse título pra nóis (sic), porque você é o coração (bate no peito) desse meio de campo, um volante monstro mesmo, você e o Ralf. Então, tem como trazer esse título?

Nota da Redação: Nesse momento, Paulinho diz a ele que é possível buscar o título inédito.

Acha que ele entrou para a história ao marcar esse gol?
Entrou, ainda mais me dando um abraço. Agora que ele entrou para a história mesmo. Estamos os dois famosos agora (risos).

Fonte: LANCENET!


Corinthians avisa: “segundo jogo é no Pacaembu”

 O diretor-adjunto do Corinthians, Duílio Monteiro Alves, garantiu o segundo jogo da semifinal no Pacaembu. Foto: Ricardo Matsukawa/Terra

O diretor-adjunto do Corinthians, Duílio Monteiro Alves, garantiu o segundo jogo da semifinal no Pacaembu
Foto: Ricardo Matsukawa/Terra

 Não há qualquer possibilidade de o Corinthians abrir mão do Pacaembu como palco do segundo confronto com o Santos pela semifinal da Copa Libertadores. Os dirigentes do clube negaram qualquer possibilidade de mover o duelo para o Morumbi.

“Vamos jogar na nossa casa, que é o Pacaembu. Não temos nenhum motivo para sair de lá, nem técnico nem financeiro, nada. O Santos é o mandante do primeiro e joga onde quiser, nós não mudaremos o local do segundo jogo em hipótese nenhuma”, afirmou o diretor-adjunto de futebol Duílio Monteiro Alves.

Minutos depois da classificação do Santos diante do Vélez Sarsfield (ARG), o clube de Parque São Jorge já usava seu site oficial para deixar claro onde exercerá seu mando de campo na semifinal.

“Com a melhor campanha na primeira fase, o Corinthians decidirá o confronto no estádio do Pacaembu. Os duelos acontecerão nos próximos dias 13 e 20 de junho”, dizia parte do texto publicado na nota oficial.

Em cinco jogos pela Copa Libertadores no Pacaembu, a equipe de Tite conquistou cinco vitórias, com 13 gols a favor e nenhum contra.

Fonte: Terra


Pressão faz Tite mudar estilo, atrasar entrevistas e ser protegido

Expulso por discutir com o árbitro, Tite assistiu parte do segundo tempo do jogo contra o Vasco nas numeradas do Pacaembu. Foto: Ricardo Matsukawa/Terra

Expulso por discutir com o árbitro, Tite assistiu parte do segundo tempo do jogo contra o Vasco nas numeradas do Pacaembu
Foto: Ricardo Matsukawa/Terra

 A obsessão por ser campeão da Copa Libertadores “pilhou” Tite. Nem mesmo a vaga para a semifinal, com vitória sobre o Vasco, baixou a adrenalina do treinador corintiano, que teve a tradicional entrevista de sexta-feira cancelada nesta semana. Esse é só mais um dos reflexos do estresse pelo qual ele vem passando ao longo do torneio e que se agravou em função da eliminação no Campeonato Paulista.

O sintoma mais claro e recente da mudança de comportamento pôde ser visto na quarta-feira. Além de se desentender com o atacante Eder Luis por achar que o vascaíno havia simulado agressão, ele reclamou muito da não marcação de uma falta em Paulinho na etapa final do jogo contra o Vasco e foi expulso, tendo que dirigir a equipe com muito custo do alambrado. Ao fim do jogo, admitiu que a atitude impulsiva poderia ter comprometido o resultado.

Um dia antes, no CT Joaquim Grava, ele já demonstrava nervosismo. “Acha que estou calmo? Estou com a adrenalina a milhão, não estou conseguindo dormir direito. Sou ser humano, não estou acima de ninguém. Não é meu perfil, minha característica (ser diferente). É que eu me elaboro (antes da entrevista), eu procuro me equilibrar. Isso é tempo, é bagagem”, disse, quando um jornalista citou a aparente calma na preparação para o confronto decisivo. Naquela tarde, foi aconselhado por funcionários a tentar descansar ao máximo no hotel.

Desde a queda precoce frente à Ponte Preta, Tite tem se exaltado no vestiário. Foi por isso que o presidenteMário Gobbi falou antes dele naquela ocasião. É também por isso que tem demorado para surgir na sala de imprensa depois das partidas na Libertadores: ele despeja tudo o que está sentindo, reza com os jogadores, conversa com alguns dirigentes e só então sai para conceder entrevista. Ao final do jogo de quarta-feira contra o Vasco, esse ritual levou 50 minutos.

Auxiliar de Tite há 11 anos, Cléber Xavier lembra que o parceiro se entrega totalmente aos treinos e partidas. “Ele é muito dedicado, a exemplo do Muricy Ramalho. Eles só pensam no trabalho, ainda mais em equipes grandes, como é o caso do Corinthians. O calendário é muito sacrificante para o treinador brasileiro, que precisa pensar em tudo e não tem muito tempo para descanso ou lazer, porque em seguida já há outro jogo”, disse.

Em 2006, então no São Paulo, Muricy chegou a passar mal depois de uma derrota para o Chivas Guadalajara, na Libertadores, e foi levado ao hospital. Oswaldo Alvarez (problemas cardíacos) e Paulo Autuori (mal-estar) também já deram susto. Mas o caso mais sério foi o de Ricardo Gomes, que sofreu AVC (Acidente Vascular Cerebral) no banco de reservas do Vasco durante clássico contra o Flamengo, no Campeonato Brasileiro de 2011, e ainda não retornou ao trabalho.

Para Joaquim Grava, consultor médico do Corinthians, a rotina de entrevistas pós-jogo, muitas vezes tensas, pode ser prejudicial ao profissional. “Na minha opinião, é um crime. O treinador tem que responder a uma série de perguntas, se vai ser demitido ou não, o porquê de não ter escalado tal jogador. O certo seria ele ir para casa e dar entrevista no dia seguinte, no CT. Já conversei com muitos deles, e todos concordam comigo”, argumentou.

Todos os técnicos contratados pelo Corinthians são submetidos a exame admissional, e Tite não tem histórico de problemas graves de saúde. O motivo da recente proteção do clube é mais preocupação com o desempenho dele e da equipe nesta reta decisiva do torneio continental, objeto de desejo do clube. Com o time invicto e garantido na semifinal pela segunda vez na história, tudo leva a crer, porém, que ele não precise de exame demissional tão cedo.

Fonte: Terra


Gol “maloqueiro” candidata Paulinho a ter fotografia em muro do CT

Paulinho marcou o gol que classificou o Corinthians à semifinal da Libertadores aos 42min do segundo tempo. Foto: AP

Paulinho marcou o gol que classificou o Corinthians à semifinal da Libertadores aos 42min do segundo tempo
Foto: AP

 A pergunta “Qual será o próximo gol de muro com a camisa do Timão?”, colocada ao lado de pintura gigante de Ronaldo no CT Joaquim Grava, no início do mês, está perto de encontrar resposta. Pode ser o de Paulinho, que balançou a rede aos 42min da etapa final no jogo de quarta-feira, contra o Vasco, e classificou a equipe à semifinal da Copa Libertadores pela segunda vez na história.

O painel de 8 m de altura, construído na verdade para tapar os fundos do CT, tornou-se um muro de gols da Nike, fornecedora de material esportivo do time, como estratégia para o lançamento da nova coleção de uniformes. Além da imagem referente ao primeiro gol de Ronaldo pelo clube, contra o Palmeiras, há espaço para outras 11 ilustrações.

A empresa afirmou que o gol de Paulinho “se enquadra em todos os critérios da campanha” (gol que arrepia, é marcado à base de suor, no fim do jogo), mas lembrou que a decisão sairá de votação da torcida corintiana nas redes sociais até setembro, mês em que o Corinthians completará 102 anos. A escolha é feita com a hashtag #goldemuro.

A possibilidade de ter uma fotografia no muro, levantada pela reportagem após o treinamento de quinta-feira, animou o jogador. “Quem sabe? Vamos dar uma forçada aí. Foi gol de maloqueiro, não sei se foi igual ao do Fenômeno”, brincou o volante, cujo tento tem em comum com o de Ronaldo o fato de ter sido comemorado junto aos torcedores, no alambrado.

Com 21 gols vestindo a camisa 8, Paulinho curte os dias de herói. “Só tenho que agradecer o Corinthians por todo o suporte que vem me dando para poder desempenhar bem meu futebol. Jogador é assim: tem fase ótima, mas sempre com algumas oscilações. Tenho que aproveitar para a fase ruim demorar”, comemorou o jogador, também patrocinado pela Nike.

Fonte: Terra


Santistas já até cogitam receber Corinthians longe da Vila Belmiro

Muricy defende jogo de ida no estádio santista, mas entende dificuldade de acesso dos associados. Lateral Léo vê Morumbi com bons olhos

Por Lincoln Chaves e Marcelo HazanSantos, SP

Sempre que o Santos tem uma partida decisiva pela frente, é comum que jogadores e comissão técnica defendam que o confronto em que o Peixe for o mandante ocorra na Vila Belmiro, devido à pressão que a torcida exerce sobre os adversários no estádio. Na Libertadores deste ano, foi assim contra Bolívar-BOL e,agora, diante do Vélez Sarsfield-ARG(veja os melhores momentos deste jogo no vídeo ao lado) - em ambos os casos, o Alvinegro Praiano conseguiu a classificação.

Para a semifinal contra o Corinthians, no entanto, a possibilidade de que a equipe mande o confronto de ida em São Paulo – no Pacaembu ou no Morumbi – ainda não é totalmente descartada. Muricy Ramalho, por exemplo, acredita que o jogo com mando do Santos tenha de ser na Vila Belmiro, mas reconhece que, no estádio santista, os associados do clube “sofrem bastante” na hora de adquirir entradas para as partidas – como ocorreu nesta semana, quando apenas 5 mil bilhetes foram disponibilizados aos cerca de 40 mil sócios do Peixe, gerando muitas reclamações.

Acho que (o Morumbi) seria benéfico para a grandeza desse clássico”
Léo, lateral do Santos

- (Sobre enfrentar o Corinthians na Vila Belmiro ou em São Paulo) Ainda vou ter um tempinho para pensar e para respirar. O que foi explicado pela diretoria é que o problema não é financeiro, mas o número de sócios que o Santos tem, que aumentou muito e a Vila não suporta. A gente entende o lado do clube. Eu sempre dou minha opinião, e acho que esse jogo tinha que ser aqui (Vila), porque será duríssimo. Mas acho que temos que conversar sobre isso – avaliou o treinador.

Já para o lateral esquerdo Léo, a grandeza do clássico entre Santos e Corinthians mereceria um palco mais amplo, e aventou inclusive a ideia de que os dois jogos da semifinal fossem realizados no Morumbi – estádio cuja capacidade máxima supera os 60 mil lugares e recebeu as duas partidas da decisão do Campeonato Paulista, envolvendo Peixe e Guarani e vencido pelo Alvinegro Praiano.

- Acho que (os dois jogos) poderiam ser no Morumbi. Um campo neutro para as duas equipes. Acho que seria benéfico para a grandeza desse clássico. A gente não sabe o que a Conmebol vai fazer, mas seria maravilhoso, com certeza – analisou o camisa 3 santista.

Muricy Ramalho Santos x Velez (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)
Muricy Ramalho prefere jogar na Vila Belmiro, mas… (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

Programa do Cartola traz boas dicas para a segunda rodada. Assista!

Cassius Leitão e Eduardo Peixoto, jornalistas do GLOBOESPORTE.COM, são os convidados desta semana. Veja o time montado por eles!

Por SporTV.COM   Rio de Janeiro

A segunda edição do Programa do Cartola FC está no ar para ajudar os fãs do Fantasy Game em mais uma rodada! Nesta sexta-feira, os convidados são Cassius Leitão e Eduardo Peixoto, jornalistas do GLOBOESPORTE.COM(assista ao vídeo ao lado). O programa tem 16 minutos e traz boas dicas que podem ajudar o internauta a escalar o time.

O programa também mostra a seleção da primeira rodada do Cartola FC. Destaca o participante que mais fez pontos: Ninho do Urubu pbi com 128,71. Mostra como funciona o assistente técnico, uma das opções do fantasy game do Campeonato Brasileiro. E também explica que quem escalou o atacante Luís Fabiano vai perder dois pontos na próxima atualização de dados.

Durante o programa, Cassius Leitão dá duas dicas para os internautas. Jogador do cartola, o jornalista garante que vai escalar em seu time o goleiro Dênis e o atacante Liedson.

- Eu apostaria nessa rodada no goleiro Dênis, do São Paulo. O Tricolor tem teoricamente uma fácil contra o Bahia no Morumbi. E ele vem atravessando uma boa fase.Já o Liedson é bom e barato. Ele não vive uma boa fase no Corinthians. Mas é um atacante de gabarito. Vai ter mais uma oportunidade contra o Galo. Acredito que ele vai aprontar e fazer um golzinho – disse Cassius.

Eduardo Peixoto aproveitou para também revelar suas apostas para a segunda rodada…

- O Bernard, do Galo, que vai enfrentar o Corinthians. É um jogador que sofre muita falta, bate muito bem de longe e o Corinthians deve jogar com uma defesa mista por causa da Libertadores. E o Atlético-MG joga em casa. E vou ser um pouco ousado em uma outra dica. É o Lucas Mendes, do Coritiba. Ele custa só uma cartoleta. É baratinho. E o Coritiba costuma ir bem contra times do Rio no Couto Pereira – disse.

Nossos dois convidados lembraram aos internautas que alguns jogadores importantes e que normalmente são muito escalados viajaram para disputar amistosos com a seleção brasileira e, por isso, estão fora da segunda rodada. Por isso, não escalem Leandro Damião e Oscar (do Internacional), Wellington Nem (Fluminense), Casemiro e Lucas (São Paulo), Jefferson (Botafogo) e Rômulo (Vasco). Além de Paulo Henrique Ganso (Santos), que vai operar o joelho nesta sexta-feira e ficar um mês fora dos gramados.

Cassius Leitão e Eduardo Peixoto no programa do Cartola (Foto: Reprodução SporTV)
Cassius Leitão e Eduardo Peixoto participam do
Programa do Cartola FC (Foto: Reprodução SporTV)

Na linha das furadas da rodada, Cassius Leitão e Eduardo Peixoto deram as suas opiniões:

- Eu gosto dele, mas o Airton está voltando agora de contusão e estava há dois meses sem jogar. E ele sempre recebe um cartão amarelo e faz muitas faltas – disse Peixoto.

- Não escalaria o goleiro Lauro, da Ponte Preta. O time paulista tem uma tarefa difícil contra o Atlético-GO no Serra Dourada. E o time da casa tem muitos jogadores que chutam bem de fora de área – completou Cassius.

Na semana passada, a Seleção do Programa do Cartola montada pelos convidados Newton Fleury e Rodrigo Breves marcou 49.28 pontos. O desafio de Cassius e Eduardo Peixoto é superar esta marca! O time montado nesta semana pela nossa dupla de convidados é a seguinte: o goleiro é Dênis, do São Paulo. Os laterais escolhido foram Lucas Mendes (Coritiba) e Douglas (São Paulo). Na defesa, Gilson (Atlético-GO) e Naldo (Grêmio). O meio-campo não tem volante e é formado por Marco Antônio (Grêmio), Lincoln (Coritiba) e Bernard (Atlético-MG). E no ataque Vagner Love (Flamengo), Rafael Sóbis (Fluminense) e Wellington Paulista (Cruzeiro). O treinador é Marcelo Oliveira (Coritiba).

O Programa do Cartola FC é uma novidade para a temporada de 2012. Sempre antes de cada rodada do Campeonato Brasileiro, os participantes do Fantasy Game vão poder assistir a um programa na Internet com especialistas e dicas para escalar o time e se dar bem na brincadeira!

Gostou das dicas? Então não perca tempo. Entre na página do Cartola FC, escale o seu time e participe também da Liga do Programa. O mercado vai fechar às 16h30 (de Brasília) deste sábado! E vale lembrar. O próximo “Programa do Cartola” vai estar disponível na Internet na terça-feira, dia 5 de junho, antes da terceira rodada do Brasileirão! Até lá e boa sorte!

Fonte: SporTV.COM


Timão x Peixe: rivalidade centenária sacode semifinais da Libertadores

Protagonistas do mais antigo clássico paulista, iniciado em 1913, Corinthians e Santos vão se enfrentar por vaga na final da Libertadores

Por Gustavo Serbonchini e Rodrigo Faber  São Paulo

É o destino: Corinthians e Santos protagonizarão um dos clássicos paulistas mais importantes da história pela semifinal da Taça Libertadores da América de 2012. Com a vitória do Peixe nos pênaltis sobre o Vélez Sarsfield nesta quinta-feira, o confronto por uma vaga na decisão se confirmou: enquanto os santistas, atuais campeões, lutam pelo tetra da competição continental, os corintianos vão em busca do título inédito, considerado uma obsessão pela torcida.

A rivalidade alvinegra é quase centenária. Começou no dia 26 de julho de 1913, com vitória santista por 6 a 3, e se destacou, desde o início, pelos longos tabus impostos por ambos os lados. Logo no início da história do clássico, o Santos passou seis anos sem perder para o Corinthians (ou seja, até 1919). O maior período de seca imposto pelo Corinthians foi de sete anos (1976 a 1983). Ao contrário do conhecido tabu da era Pelé, na qual o Timão ficou 22 jogos sem vencer o Peixe apenas pelo Campeonato Paulista, a equipe de Parque São Jorge não foi derrotada pelo rival da Baixada em nenhuma competição profissional daquele período.

Neymar Santos Emerson Sheik Corinthians (Foto: Montagem sobre foto da Reuters)
Neymar e Emerson Sheik, esperanças de Santos e Corinthians (Montagem sobre fotos da Reuters)

Na Libertadores deste ano, as campanhas dos rivais na primeira fase foram semelhantes. Ambos avançaram como líderes de seus grupos: o Santos com 13 pontos (quatro vitórias, um empate e uma derrota) e o Corinthians com 14 (quatro vitórias e dois empates). A diferença veio no mata-mata. Tanto nas oitavas quanto nas quartas de final, a equipe do Parque São Jorge se classificou empatando sem gols fora de casa e vencendo no estádio do Pacaembu. Já o time da Baixada perdeu as duas fora de casa (2 a 1 para o Bolívar e 1 a 0 para o Vélez Sarsfield), decidindo a vaga com vitórias no Alçapão da Vila Belmiro.

Inevitavelmente, o destaque inicial do confronto é o duelo entre o eficiente ataque do Peixe e a sólida defesa do Timão: liderado por Neymar, o Santos marcou 22 gols em dez jogos (média de 2,2 por jogo), enquanto o Corinthians foi vazado apenas duas vezes na mesma quantidade de partidas (média de 0,2) e detém a segunda melhor defesa da história da competição, atrás apenas do Junior Barranquilla-COL de 1978, que tomou um gol em seis jogos (média 0,17), mas caiu na primeira fase daquele ano.

tite muricy ramalho santos corinthians (Foto: Editoria de Arte/GLOBOESPORTE.COM)
Tite e Muricy, os estrategistas de Timão e Peixe
(Montagem: Editoria de Arte/globoesporte.com)

Aliás, o time da capital não sofreu nenhum gol jogando como mandante e ainda tem a chance de se sagrar o sexto campeão invicto da história da Libertadores. Peñarol-URU (1960), Santos (1963), Independiente-ARG (1964), Estudiantes-ARG (1969 e 1970) e Boca Juniors-ARG (1978) já conquistaram o feito.

Independentemente do resultado que obtenha contra o Santos, o Corinthians já igualou sua melhor campanha na história da Libertadores. Em 2000, uma das melhores equipes da história alvinegra, com figuras como Marcelinho Carioca, Vampeta, Rincón, Edilson e Luizão, sucumbiu para o arquirrival Palmeiras nos pênaltis, pela segunda vez consecutiva. O campeão seria o Boca Juniors. O roteiro agora é parecido – o Corinthians tem um rival paulista nas semifinais e vê o Boca pintando com força do outro lado da chave.

CORINTHIANS SANTOS
122 vitórias 96 vitórias
555 gols marcados 471 gols marcados
Maior vitória:
11 a 0, em 1920,
na Vila Belmiro
Maior vitória:
8 a 3, em 1927, na Vila Belmiro

O histórico geral de confrontos entre Timão e Peixe, independentemente da competição, apresenta larga vantagem para o time do Parque São Jorge. Em 301 jogos, foram 122 vitórias do Corinthians, contra 96 triunfos do Santos, além de 83 empates. O Alvinegro Praiano balançou as redes 471 vezes, contra 555 gols do rival.

O Corinthians tem um retrospecto equilibrado em seus confrontos com outras equipes brasileiras na história desta competição. Em 10 Libertadores, o clube disputou 20 partidas contra outras equipes brasileiras, conseguindo oito vitórias, cinco empates e sete derrotas, com 23 gols marcados e 23 sofridos.Palmeiras (seis vezes), Flamengo (quatro), Internacional, Botafogo, Grêmio, Atlético/MG e Vasco, duas vezes cada, são os brasileiros que já cruzaram o caminho corintiano no torneio.

O Santos, por outro lado, tem um retrospecto negativo em jogos com outras equipes brasileiras na Libertadores. O Peixe enfrentou 10 vezes seus compatriotas dentro da competição, obtendo apenas três vitórias, além de dois empates e cinco derrotas. Em 1963, o Peixe eliminou o Botafogo nas semifinais da competição (1 a 1 e 4 a 0); em 1984, na primeira fase, o Peixe foi goleado duas vezes pelo Flamengo (4 a 1 no Maracanã e 5 a 0 no Morumbi); em 2005, o Santos foi eliminado nas quartas de final, com duas derrotas diante do Atlético-PR (3 a 2 em Curitiba e 2 a 0 na Vila Belmiro).

Enquanto o Timão vem embalado por uma vitória justamente sobre um compatriota, o Vasco, o Peixe não enfrenta adversários brasileiros na competição continental desde 2007. E a lembrança de cinco anos atrás não é nada boa. Também pela fase semifinal, o Santos acabou eliminado pelo Grêmio por conta de um gol marcado fora de casa pelo Tricolor Gaúcho, que venceu por 2 a 0 no Olímpico e perdeu por 3 a 1 na Vila Belmiro.

Embora a Conmebol ainda não confirme as datas oficiais, Corinthians e Santos devem se enfrentar nos dias 13 e 20 de junho. Para aumentar ainda mais a ansiedade do torcedor, o GLOBOESPORTE.COM selecionou grandes momentos da história do clássico paulista, apresentados abaixo. Relembre e se prepare para este jogaço!

Ronaldo, comemoração gol na Vila Belmiro (Foto: Marcos Ribolli)
Ronaldo comemora golaço sobre o Santos na Vila, na decisão de 2009 (Foto: Marcos Ribolli)

GRANDES VITÓRIAS DO CORINTHIANS

Maior de todos os tempos (Santos 0 x 11 Corinthians – Paulista de 1920)
Esta é a maior goleada aplicada pelo Timão e sofrida pelo Peixe na história. Jogando na Baixada Santista, o Corinthians abriu 5 a 0 ainda no primeiro tempo. Os santistas, revoltados com a arbitragem, passaram a forçar expulsões e pênaltis. Quando Neco marcou o décimo tento da equipe de Parque São Jorge, Ary, do Alvinegro Praiano, fez gol contra de propósito. O jogo terminou aos 21 minutos da etapa complementar, porque o Santos não tinha jogadores suficientes em campo.

Rei de verdade é o Rivellino! (Corinthians 2 x 0 Santos – Paulista de 1968)
O dia era 6 de março. Havia 11 anos (ou 22 partidas) que o Timão não ganhava do Santos de Pelé em partidas válidas pelo Campeonato Paulista. Com os reforços de Paulo Borges, Buião e Eduardo, o Corinthians, liderado por Rivellino, matou o jogo no segundo tempo, após uma etapa inicial equilibrada: Paulo Borges, o Risadinha, e Flávio, o Minuano, marcaram os gols da redenção. A torcida deixou o Pacaembu cantando: “Com Pelé, com Edu, nós quebramos o tabu!”.

No último suspiro, do jeito que a Fiel Gosta (Santos 1 x 2 Corinthians – Paulista de 2001)

O torcedor do Corinthians que esteve no Morumbi no dia 13 de maio de 2011 dificilmente esquecerá esta data. Os rivais alvinegros brigavam por uma vaga na final do Campeonato Paulista. O Santos, que jogava pelo empate, saiu na frente, mas Marcelinho Carioca igualou o marcador um minuto depois. Quando tudo parecia perdido e a torcida do Santos já comemorava a eliminação corintiana, o meia Ricardinho disparou chute certeiro, de fora da área, sem chances para Fábio Costa, a 15 segundos do fim. Explosão da Fiel e Timão na decisão contra o Botafogo de Ribeirão Preto. A campanha resultaria no 24° título estadual do clube.

Baile ao ritmo de cumbia argentina (Corinthians 7 x 1 Santos – Brasileiro de 2005)
Em todos os clássicos contra o Santos, desde 6 de novembro de 2005, a torcida do Corinthians carrega uma bandeira: “Eterno 7 a 1″. Não é para menos. Com um show de Carlitos Tevez, que marcou três gols e infernizou o Peixe no Pacaembu, o Timão construiu uma goleada que ficaria marcada como a melhor exibição da campanha do título nacional, conquistado na última rodada, contra o Goiás. Os torcedores santistas tentam justificar a goleada lembrando que os jogadores pareciam querer derrubar o então treinador, Nelsinho Baptista. Mas o que ficou para a história mesmo foram os gols.

Quando o Rei aplaudiu de pé o Fenômeno (Santos 1 x 3 Corinthians – Paulista de 2009)
Após eliminarem São Paulo e Palmeiras, respectivamente, Corinthians e Santos chegaram à final do Campeonato Paulista. No primeiro jogo, na Vila Belmiro, apenas um nome foi falado: Ronaldo. O Fenômeno marcou dois dos três gols do Timão, sendo que um deles (o que fechou o triunfo), foi classificado por ele próprio como o mais bonito da carreira. Após cortar o lateral Triguinho na intermediária, R9 viu Fábio Costa adiantado e não teve dúvidas: tocou por cobertura, com classe, calando a torcida santista. Presente na partida, Pelé não teve dúvidas: levantou-se e aplaudiu o feito do atacante. O Corinthians ficaria com o título após empate por 1 a 1 no Pacaembu.

pelé santos corinthians campeonato paulista 1971 (Foto: agência Gazeta Press)
Pelé infernizava a vida do Corinthians: contra o Timão, 50 jogos, 51 gols (Foto: Gazeta Press)

GRANDES VITÓRIAS DO SANTOS

Taça na Vila ou fogo no Parque (Corinthians 0 x 2 Santos – Paulista de 1935)
O primeiro título do Santos de maior repercussão foi o Campeonato Paulista de 1935. Com 23 anos de história – o time foi fundado em 1912 –, o Peixe conseguiu o troféu justamente em cima do Corinthians. Nos pontos corridos, o Alvinegro Praiano venceu o Timão dentro do Parque São Jorge, por 2 a 0, e conseguiu ficar com a taça. Na ocasião, por conta de erros da arbitragem em partidas anteriores da equipe da Baixada em outras competições, houve uma mobilização grande dos torcedores que lotaram o estádio de São Paulo com galões de gasolina e prometeram colocar fogo no local caso o Santos fosse novamente prejudicado.

Curvem-se ao Rei Pelé (Corinthians 4 x 7 Santos – Paulista de 1964)

O maior artilheiro da história do clássico Santos e Corinthians é Pelé, com 51 gols em 50 partidas disputadas. Nesta vitória por 7 a 4, pela antepenúltima rodada do Campeonato Paulista de 1964, o Rei do Futebol marcou quatro vezes, manteve o Peixe na liderança da competição e abriu diferença considerável na tabela de classificação, que praticamente tirou as possibilidades de o Timão conquistar o título daquele ano – o time da Vila foi aos 40 pontos e o da capital ficou com 38, sendo que naquela época cada vitória valia apenas dois pontos. Na última rodada, o Alvinegro da Baixada venceu a Portuguesa por 3 a 2 e conquistou o título.

Última glória antes do jejum (Corinthians 0 x 1 Santos – Paulista de 1984)
Após a conquista deste título do Campeonato Paulista de 1984 em cima do Corinthians, o Santos entra em uma fase de ostracismo e fica longe das glórias até 2002. Em seguida, ser santista passa a ser um sofrimento. Falta de dinheiro, jogadores medíocres e péssimas administrações afundam o clube. Os alvinegros praianos viram alvo de piadas. A competição era disputada nos pontos corridos, e novamente o time da Vila Belmiro fez o jogo que definiu o campeão diante de um dos maiores rivais.

Show e fim da seca. Melhor impossível! (Santos 3 x 2 Corinthians – Brasileiro de 2002)
Depois de uma fase difícil, o Santos venceu o Corinthians com um time formado basicamente por garotos e conquistou, depois de 18 anos, um título importante. Naquela campanha, a diretoria havia dito que não iria contratar mais ninguém por falta de dinheiro, e o então técnico Emerson Leão teve de apostar na base. E assim surgiram jogadores como Diego, Elano, Renato, Alex e, claro, Robinho, o garoto de canelas finas que eternizou um drible – a pedalada – em cima do lateral corintiano Rogério.

Lembrada com carinho, mas não valeu (Santos 4 x 2 Corinthians – Brasileiro de 2005)
A partida não definiu um título, mas tem espaço na memória dos santistas mais novos. Nesta vitória por 4 a 2 diante do Corinthians, no Brasileirão de 2005, o Peixe colocou em campo pela única vez no clássico dois de seus maiores ídolos recentes: Giovanni e Robinho – o maior representante da geração de 1995 e o ícone do time campeão em 2002. O meia marcou dois gols. A partida, porém, é mais lembrada por ter sido anulada pelo STJD após o escândalo da máfia do apito, que manipulou resultados naquela temporada. O jogo remarcado foi recheado de lances polêmicos, expulsões, protestos, invasão da torcida e pênalti não marcado, o Corinthians venceu por 3 a 2, de virada, e disparou na liderança da competição nacional – o Timão acabou campeão daquele ano. Neste jogo, Robinho já havia sido negociado e Giovanni, descontente com a arbitragem, chutou a bola para a arquibancada em sinal de protesto.

Fonte: Globoesporte.com


Timão fecha acordo para ter ‘melhor iluminação do mundo’ em Itaquera

Com construtora responsável pela obra, Corinthians assina contrato com a Osram nos próximos dias. Estádio será entregue em dezembro de 2013

Por Leandro Canônico   São Paulo

estádio corinthians 3d odebrecht (Foto: Divulgação)
Projeção do estádio do Corinthians, em Itaquera
(Foto: Divulgação)

O Corinthians e a Odebrecht, construtora responsável pelo estádio do clube, em Itaquera, na zona leste de São Paulo, fecharam acordo esta semana para o fornecimento da iluminação do palco da abertura da Copa do Mundo de 2014, no dia 12 de junho. A empresa escolhida foi a Osram e o contrato será assinado nos próximos dias.

Ainda não há previsão para a instalação dos holofotes, mas eles só podem ser colocados depois que a estrutura da cobertura estiver pronta. Segundo os engenheiros da Odebrecht, essa parte será iniciada no começo do ano que vem. A ideia, aliás, é que até o final de 2012 a obra chegue a 60% do projeto.

No contrato a ser assinado pelo Timão com a Osram, a empresa assegura que a iluminação da Arena Corinthians será a melhor do mundo, levando em consideração a relação vida útil/desempenho das lâmpadas. O projetor a ser utilizado no palco de abertura da Copa do Mundo, por sua vez, foi vendido com eficiência de 87%.

Esta semana, durante visita do ministro do esporte, Aldo Rebelo, a construtora responsável ela obra anunciou que até o final deste ano o projeto atingirá 60%. Até o final deste mês, a construção chegará a 38%. Em ritmo acelerado, a Arena Corinthians conta atualmente com 1800 operários e vai chegar a 2300.

Na próxima quarta-feira, dia 30 de maio, a obra do Timão em Itaquera completa um ano. Haverá comemoração com bolo temático, decorado com o logo oficial da Copa do Mundo noBrasil, nos três turnos e a visita do presidente do Corinthians, Mário Gobbi Filho na hora do almoço dos funcionários.

A previsão de entrega da Arena Corinthians é dezembro de 2013. Alguns dirigentes do Timão ainda sonham com a conclusão da obra antes de setembro, para que a inauguração seja no aniversário de 103 anos do clube. Mas os engenheiros da Odebrecht descartam essa ideia por conta do planejamento.

obras na Arena Corinthians Itaquerão (Foto: Leandro Canônico / Globoesporte.com)
Arena Corinthians vai chegar a 38% do projeto no fim do mês (Foto: Leandro Canônico / Globoesporte.com)

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 47 outros seguidores